Saiba como o Big Data vem sendo usados em bancos

O Big Data é a mais nova ferramenta de geração de informação com relevância para a inovação em instituições financeiras.

Com isso, o Big Data em bancos é a solução mais indicada para entregar valor de forma surpreendente para os clientes.

As análises de dados de bases eletrônicas têm sido utilizadas para tornar as informações mais precisas e relevantes, de acordo com a realidade do negócio, contribuindo para uma tomada de decisão mais acertada.

Conheça um pouco mais sobre o assunto.

Como o Big Data é utilizado em bancos

Existem, basicamente, três passos que devem ser seguidos para que o Big Data atinja seus objetivos dentro de uma instituição. São eles:

  1. Os objetivos do negócio devem direcionar os projetos de análise de dados. Para isso, é interessante alinhar as ferramentas disponíveis com as metas estipuladas pelo banco.

  2. Os esforços devem ser voltados a compreender o ambiente e impulsionar inovações. Com base nos dados que a empresa possuir, é importante que o foco seja utilizá-los para gerar soluções inovadoras e uma entrega personalizada aos clientes.

  3. Os dados devem ser compreendidos como uma cadeia de abastecimento contínuo​. A instituição deve procurar o valor por trás dos dados, gerando uma nova perspectiva. Para isso, os dados precisam ser acessíveis e integrados a diversas fontes.

​​Confira agora 4 benefícios gerados pela utilização de Big Data em bancos:

Benefícios do Big Data em bancos

Entre as utilizações possíveis para o Big Data em instituições financeiras, a aproximação com o cliente e a melhoria na interação com os consumidores são maneiras de aperfeiçoar as relações comerciais.

Assim, é possível fornecer uma experiência personalizada e melhorar os índices de conversão, contribuindo para a fidelização dos clientes.

Listamos alguns outros benefícios que podem ser observados no uso de Big Data em bancos.

1. Melhorar o gerenciamento de risco nas concessões de crédito

Concessões de crédito, especialmente aquelas envolvendo aquisições mais onerosas, acabam significando um risco bastante elevado para as instituições financeiras.

Quando considerada a possibilidade de falha humana na análise de riscos, o perigo é ainda maior.

Por isso, o Big Data vem mudando as regras do jogo fornecendo dados de grande relevância de forma muito mais precisa e gerando informações confiáveis a partir do cruzamento de dados.

Essas informações podem incluir o padrão de comportamento de compra do cliente, seu patrimônio atual e potencial, tendência de inadimplência e dados de mídias sociais.

Isso tudo em tempo real!

2. Reduzir as taxas de churn

As taxas de churn dizem respeito ao cancelamento de serviços contratados e encerramento de contas. Quando isso acontece, além da perda do cliente, ainda há um fortalecimento do concorrente.

Para iniciar, é importante manter o controle sobre essa taxa. Isso pode ser feito através de Analytics.

Nesse caso, quando utilizado o Big Data em bancos, é possível analisar todo comportamento do cliente.

​Isso tudo é realizado por meio de fórmulas e resultam em gráficos que dificilmente seriam construídos de forma convencional.

​3. Melhorar o atendimento e a satisfação do cliente

Portanto, quando é possível prever a insatisfação do cliente antes que ele desista de negociar com o banco, há ainda uma forma de melhorar o atendimento e satisfazê-lo.

Isso pode ser realizado por meio do conhecimento dos pacotes de produtos mais demandados pela sua classe social, seu perfil de cliente e de investimento e os prováveis serviços de aceitação daquele cliente.​

​​Uma forma de acompanhar e personalizar essa relação é pela utilização de dados de CRM. Assim, o banco pode oferecer produtos exclusivos e aumentar a proximidade ao cliente.

4. Combater fraudes

Sendo um dos principais motivos de utilização do Big Data em bancos, o combate às fraudes ocorridas é mais um dos benefícios atingidos por essa ferramenta.

Isso porque existe um monitoramento permanente e em tempo real que identifica as informações de acesso para gerar padrões de utilização por usuário.

Assim que acontece algum desvio desse padrão, é comum que as​ ​informações e o próprio acesso sejam bloqueados.

Quando isso ocorre, tanto o banco quanto o cliente recebem notificações que informam sobre a tentativa de invasão, impedindo a sua ocorrência.

Então, gostou do conteúdo? Quer receber mais, direto no seu e-mail? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de outras novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer receber conteúdos exclusivos para alavancar seu negócio?

Quer receber conteúdos exclusivos para alavancar seu negócio?

Preencha o campo abaixo e receba direto em seu e-mail novidades do mercado para sair na frente dos seus concorrentes. 

Seu cadastro foi realizado com sucesso!